Opinião: Crianças-soldado

Por Emin Shamsiyev

Crianças-soldados são crianças com menos de dezoito anos que são membros de quaisquer forças armadas regulares ou irregulares, que estão ocorrendo atualmente durante vários conflitos na África, Ásia e os segundo últimos dados na Armênia. Lá, crianças são mortas, feridas em confrontos armados,recrutadas forçadamente, abusadas sexualmente, fisicamente feridas e usadas como escudos humanos. Em algumas guerras civis, como na República Democrática do Congo, Libéria e Serra Leoa, o número de crianças-soldados chega a 70% do número total de paramilitares.

Semana passada, houve informação (foto e vídeo) de que a Armênia está usando crianças como soldados contra o Exército do Azerbaijão.
Deve-se notar que a Armênia viola abertamente muitas convenções e normas internacionais – a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança e a Convenção de Paris da UNICEF.

Na Armênia, crianças são recrutadas à força para matar sem hesitação e se comportar como robôs, sem entender o próprio significado da morte. Crianças que nunca vão crescer e se desenvolver espiritualmente, mesmo que tenham sobrevivido a esta guerra. Essas ações se desdobram, via de regra, no “Estado Fraco”.

Os “soldados infantis” armênios são um bom negócio: eles bebem e comem menos, são mais baratos de manter, não precisam de alojamentos separados e roupas especiais, eles seguem as ordens com maior obediência, aprendem os exercícios mais facilmente (muitas vezes através da passagem de rituais de iniciação selvagens) não precisam de explicações lógicas sofisticadas para realizar as operações atribuídas a eles. Eles podem ser enviados quase imediatamente para as linhas de frente das hostilidades, sendo ensinados apenas as técnicas mais básicas.

Participando de formações militares regulares durante a guerra ou fazendo parte das tropas armênias envolvidas em negócios criminosos, as crianças soldados ainda são um dos problemas mais graves. A ONU acredita que as crianças que participam de grupos armados não devem ser presas ou processadas. Pelo contrário, devem ser vistos principalmente como vítimas, dada a sua idade e envolvimento violento em atividades criminosas.

Emin Shamsiyev é colunista da página do Facebook AzeriNation, e as opiniões não necessariamente refletem as opiniões do Espaço Cáspio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s