As relações bilaterais entre Brasil e Azerbaijão

As relações bilaterais entre o Brasil e o Azerbaijão começaram em meados de 1993, tendo maior intensificação com a abertura das Embaixadas nos respectivos países: em 2009, a Embaixada do Brasil em Baku (capital do Azerbaijão) foi instalada e, em 2012, a Embaixada do Azerbaijão em Brasília. 

Sendo um dos investidores do Brasil, a República do Azerbaijão importa uma variedade de produtos brasileiros, desde carne até aeronaves. Em 2013, o comércio entre os países atingiu um grande pico quando a Azerbaijan Airlines (AZAL) fez uma encomenda à Empresa Brasileira de Aeronáutica (EMBRAER) de quatro aeronaves E-190, assim como duas aeronaves E-170. Ainda em âmbito econômico, segundo dados do Governo Federal de 2019, os principais produtos exportados ao Azerbaijão são tubos metálicos (26%) e charutos e cigarros (23%). Em contrapartida, o Brasil importa muitos produtos químicos para a indústria (99,9%).

Vale ressaltar que as relações não estão ligadas apenas para a economia e política, mas também na cultura. O Azerbaijão é um país com ricas tradições esportivas, como as artes marciais, xadrez, futebol, entre outros, sendo a capoeira um esporte muito famoso. Com grande peso histórico no Brasil, a capoeira foi desenvolvida como uma forma de resistência e luta praticada pelos escravizados na época do Brasil colonial, com mistura de cultura popular e música.

Em 1970, muitos capoeiristas brasileiros saíram do Brasil em busca de oportunidades de trabalho no exterior, difundindo o esporte no Azerbaijão no final dos anos 90, onde foi fundada primeira escola de capoeira no país, aberta em Lankaran, no sul, depois expandindo para Baku. Devido à internacionalização do esporte e a preocupação de manter os vínculos brasileiros vivos, muitos mestres de capoeira proíbem a tradução no nome dos golpes e movimentos no treinamento, sendo o ensino no idioma local do país, porém, com canções e nomenclaturas na língua portuguesa, segundo a Primeira Convenção Internacional de Capoeira, assinada pelas federações e associações de capoeira de diversos países.

Por fim, como dito anteriormente, a relação entre Brasil e Azerbaijão segue com estabilidade e trocas diplomáticas, contando com visitas oficiais em ambos os países, como em 2009, com a visita do Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Rodrigo Maia, ao Azerbaijão, onde foi premiado com a medalha do Parlamento do Azerbaijão pela contribuição com o fortalecimento do vínculo entre as duas nações.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s