Primeira República Democrática no Mundo Oriental: Azerbaijão. O que o mundo poderia aprender com a RDA 104 anos depois?

Escrito por : Daniel Flávio (2o colocado no Concurso de Redação)

Desde o seu surgimento, o Azerbaijão e o seu povo sempre estão a mostrar sua principal característica: sua resiliência contra as adversidades. Durante toda a história do Azerbaijão, nota-se um povo que lutou constantemente pelos seus direitos, tanto na atualidade, sendo invadida por outros povos, quanto a 104 anos atrás, quando tornou-se a primeira república democrática no mundo oriental. Por isso, a revisitação da história do Azerbaijão é de suma relevância para o mundo: a incorporação do conceito de resiliência para que seja possível atravessar crises.

Dia 28 de maio, uma data de extrema importância para todos os azerbaijanos, uma vez que representa a proclamação da independência do Azerbaijão. A data representa a libertação política do regime russo, a busca pela igualdade, e pela mudança no paradigmas da história do oriente médio. Para uma melhor compreensão, analisemos a expansão do império russo.

Durante o século 17, a Rússia passava por um fase expansionista do seu império, avançando sobre a região do oriente médio, fato que levou a duas guerras contra o Irã, as guerras russo-persas. Como resultado, um terço do território do Azerbaijão ficou sob o controle russo, o que resultou a eles anos de descriminação, pois houve-se então a redefinição das fronteiras, fazendo com que os azeri- etnia a qual representavam a maioria do povo azerbaijano- o contato direto com armênicos e turcos, de origem mulçumana. A descriminação era de tamanha escala que os azeri eram proibidos de ocupar mais de 50% da cidade de Baku, cidade de origem azeri.

Logo, como consequência direta da anexação do Azerbaijão ao império russo nota-se um grande problema para os Azeris: a perda não só de seus direitos, mas também a descriminação e a falta de representação política dentro do império russo.

Com o final da primeira guerra mundial, houve então a onda de movimentos por libertação nacional, transformando assim a queda do império russo como uma oportunidade para o Azerbaijão para criar seu próprio estado e liberta-se daquela condição de menoridade a qual estavam submetidos. A oportunidade foi-se encontrada então na Syen da Transcaucásia, a união do representantes da Geórgia, Azerbaijão e Armênia.

       A fragilização da Rússia durante a revolução russa, juntamente com os ataques da Turquia contra a Rússia possibilitou o império abrir mão da região da transcaucásia. Consequentemente, a união das regiões que componham transcaucásia não foi promissora, uma vez que os lideres passavam por diversas divergências de interesses, resultando em intensos debates.

            Com a independência do Azerbaijão, logo foi decido que o Azerbaijão seria uma república democrática. Com isto, surge-se então a primeira república democrática no oriente médio, o que teve impacto direto em todo o mundo, uma vez que foi capaz de garantir a igualdade, voto popular, etc.

            É de suma importância ressaltar o forte cunho pluralista, independentemente de sua origem étnica, de sua cor ou raça, todos os cidadãos do Azerbaijão tem seus direitos estabelecidos de maneira igualitária.

      Cria-se em abril de 1918 uma federação com um sistema republicano, a República Democrática Federal da Transcaucásia. Porém, como os conflitos de interesses vinham a persistir, no dia 28 de maio de 1918 Azerbaijão conquista sua independência.

        Durante a existência da republica do Azerbaijão, a todo o momento nota-se claramente a busca pela estabilização da economia, busca pelos direitos iguais a todos os cidadoes, entre outras conquistas notórias para um estado que havia recentemente sido instaurado.

       Entretanto, a RDA teve uma breve duração, dado que em 1920, 2 anos após seu surgimento, houve então a invasão russa para a reconquista do território azerbaijano, recolocando aquele povo, o qual lutava e progredia para uma sociedade melhor, novamente em uma posição de submissão para o interesse russo.

         Apenas no ano de 1993, Azerbaijão libertou-se novamente da influência direta da União soviética. Foram se 73 anos de constante lutas de resistência, buscando novamente sua independência. Novamente, a resiliência dos azeris foi botada a prova, e novamente, conseguiram se sobressair.

         Na atualidade, o Azerbaijão vem se mostrado exemplar, seguindo os conceitos de pluralidade e igualdade proposta em 1918.

         Entretanto, o Azerbaijão se encontra com conflito direto contra a Armênia, devida a questões étnicas. Apesar da postura ideal do Azerbaijão em relação a garantia de direitos, os azerbaijanos ainda buscam perseverar e botar sua resiliência a prova, pois os confrontos com a Armênia estão a se tornar eliminação étnica contra os Azeris.            A perseverança e resiliência dos azeris é admirável, todos devem se inspirar neles, uma vez que apesar de anos de repressão, luta e tragédia, o Azerbaijão vem aderindo politicas inclusivas, vem incrementando sua economia e tornando-se cada vez mais um país com uma maior relevância econômica e política.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s